sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Nívea Stelmann dispara: 'Às vezes somos médico, às vezes monstro'


Nossa diva Ni Stelmann esta num momento glorioso de sua carreira. No musical
"Um lugar chamado Recanto" em cartaz no Teatro Clara Nunes, no Rio, Ni interpreta a amargurada Zizinha e nas telinhas retorna como a vilã Kátia que entra na próxima quinta-feira (22) na história de "Cama de Gato". Uma moderna vilã que passa por cima de todos para conseguir o que deseja e será cúmplice nas armações da também vilã Verônica (Paola Oliveira).

Vivendo duas vilãs com histórias totalmente diferentes, em entrevista ao site TE CONTEI, Ni conta um pouquinho de como esta sendo essa experiência nova em sua carreira em dar vida a personagens tão densos.




Em entrevista ao TE CONTEI, Nívea revela que não dispensa o uso de certos truques para aliviar a alta carga negativa do trabalho: "É uma energia bem pesada mesmo e costumo brincar dizendo que vou tomar banho de sal grosso. Tenho no meu banheiro e uso às vezes, mas não é um ritual. Acho que tudo é válido, mas não fico presa a essas coisas. Faço quando dá, mas, para mim, interpretar é um prazer e levo tudo com muita alegria. Acho que o artista deve encarar os personagens da mesma forma".

Se para interpretar seus novos personagens Nívea precisa de muita intensidade, a atriz vê com otimismo a possibilidade de agir de forma tão diferente de suas ações no dia a dia. "Parece clichê, mas é verdade. É muito bom viver algo que você não é, seu oposto. Eu sou muito alegre, para cima e paciente. É bom dar vida a esse outro lado", diz a atriz, que também é sincera sobre seu próprio lado obscuro. "Está sendo ótimo, porque não preciso nem fazer terapia. Por meio delas duas, estou pondo para fora o meu lado ruim. Todos nós temos um lado malvado dentro de nós. Às vezes somos médicos, às vezes monstro. Faz parte da essência humana".


Essa não é a primeira vez que Nívea Stelmann trabalha com um personagem dramático. Na novela "Alma Gêmea" - reprisada atualmente no "Vale a pena ver de novo" - ela mostrou ao público a esquizofrênica Alexandra, que, além da doença, tinha um quê de vidência. O mesmo visual desleixado, as unhas por fazer e a falta de maquiagem acompanham Nívea no teatro, fato comemorado pela atriz: "Na novela até que estou bonitinha, mas na peça estou horrososa mesmo. Era esse o propósito, tinha que ser assim", pondera.


Mãe do pequeno Miguel, de 5 anos, Nívea não desgruda do menino nem mesmo quando está no "olho do furacão", como ela mesma define. Para onde vai, carrega a tiracolo o filho único, fruto do seu relacionamento com o ator Mario Frias. "Levo ele para qualquer lugar. É claro que o Miguelito tem a vida dele, as atividades, a escola, mas está sempre comigo. Faço questão de levá-lo para a natação todos os dias, mesmo que depois volte para casa e vá dormir novamente. Ele vive no Projac e já é superentrosado com todo mundo", finaliza a atual namorada de Thierry Figueira.


Um comentário:

Monique disse...

Entrevista bacanaa essa...
E realemnte todos temos um lado ruim...ngm eh 100% bonzinho...
Olhaa O símbolo Yan Yang mostra que todo bem tem o mal, e todo mal tem o bem.
eh bem por aiii...enfim, a matéria fikou oteemaaa!

agora peraííí alexandraa bunitinhaaa?!...páreo durO ela e zizinhaaa ahsuahuahsuahsuashaushaus!

Mas elas tem uma coisa em comum, ambas foram interpretadas pelo aHazo de nome Nivea Stelmann q mandou e mandaaa super bem!

Talento eh o sobrenome (sem esqcer q antes tem o atenciosa) hahahahahahahahaha

Dona moça ♥

bjoks
nique